quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Porto Alegre: Romaria de Nossa Senhora Mãe de Deus reunirá fiéis no primeiro dia de 2015


Que tal passar o primeiro dia do ano renovando a fé, junto com Nossa Senhora Mãe de Deus? Essa é a proposta da 27ª Romaria Arquidiocesana de Nossa Senhora Mãe de Deus, que acontecerá no dia 1º de janeiro, em Porto Alegre. O evento é promovido pelo Missionários Redentoristas. A Missa Solene será presidida por Dom Agenor Girardi, bispo auxiliar da arquidiocese.
 

Neste ano, os fiéis vão refletir sobre a paz na cidade. Não por acaso, o primeiro dia do ano é feriado da confraternização universal e Dia Mundial da Paz. Para esta data, o Papa dirige mensagem a toda a Igreja e governantes. Neste ano, a luta contra o trabalho escravo e tráfico humano está refletido na mensagem “Não mais escravos, mas irmãos”. (Clique Aqui e leia a mensagem).

Na Romaria da Mãe de Deus, os fiéis são convidados a caminharem com a Mãe de Jesus rezando pela paz na cidade, no país e nas famílias. A programação será inicia às 16h com a acolhida dos fiéis na Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, junto ao Hospital Divina Providência. Às 16h30min, os fiéis saíram em caminhada, morro acima, até o Santuário Arquidiocesano, quando será celebrada a missa solene na parte externa do templo.

Segundo Pe. Toninho Dezidério, celebrar Maria, sob o título de Nossa Senhora Mãe de Deus, é lembrar a profunda ligação da jovem de Nazaré com a salvação oferecida por Jesus: “Maria de Nazaré, a Santa mãe de Deus, a Maria de tantos nomes que conhecemos é o ponto central da história da salvação. Por Maria nos veio Jesus Cristo, nos veio Deus feito gente. Se Deus é amor, Jesus Cristo é o amor de Deus feito homem, nascido de Maria. Se Deus é misericórdia, Jesus é a misericórdia de Deus feito gente, nascido da Virgem Maria. Podemos dizer que Maria é a Mãe do amor e da misericórdia, a mãe do perdão, a mãe da paz” disse.

Nossa Senhora Mãe de Deus é a padroeira da Arquidiocese de Porto Alegre.
 

PROGRAMAÇÃO:
27ª Romaria de Nossa Senhora Mãe de DeusSantuário Arquidiocesano – Morro da Glória

16h – Acolhida dos fiéis
16h30min – Saída da Romaria em direção ao Santuário Arquidiocesano
18h – Missa Solene

Saiba Mais:
Santuário Arquidiocesano Mãe de DeusRua Santuário, número 400, bairro Belém Velho
Porto Alegre/RS - Fone: (51) 3318.4627
Site: www.santuariomaededeus.org

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

O que necessitam as pessoas que estão ao nosso redor? E o que podemos oferecer?


Bom dia !


O que necessitam as pessoas que estão ao nosso redor?
E o que podemos oferecer?
Essa é uma boa reflexão para o período natalino. O que podemos doar?
Devemos encontrar uma resposta que sirva para todos. Parentes, amigos, pobres e ricos.
Duas coisas são imprescindíveis nesta época em que vivemos: calor humano e esperança.

O calor humano aquece os corações e os relacionamentos. A esperança traz o entusiasmo necessário para recomeçar, para acreditar em boas mudanças e novos projetos.

Distribuamos esses dois presentes a todos que cruzarem nosso caminho. Busquemos dentro de nós a chama do amor de Deus e façamos com que se alastre. Olhemos para frente junto com o outro, para que o horizonte da esperança tenha uma amplitude maior.
Para hoje, dia 22 de dezembro de 2014:

"DIFUNDIR AO NOSSO REDOR CALOR E ESPERANÇA"

Abraços,

Apolonio

Papai Noel no natal luz da Capela


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

A oração dos cinco dedos do papa Francisco


Imagem
«Quando rezo, Deus respira
 em mim»
e com esta frase e a assinatura de Francisco
 que abre o livro de bolso de 40 páginas que 
o papa ofereceu este domingo aos presentes 
na oração mariana do Angelus rezada na praça 
de S. Pedro, no Vaticano.
Francisco, que procedeu à tradicional bênção dos
 “bambinelli”, pequenas imagens do Menino 
Jesus para depor no presépio, lançou um 
pedido às crianças: «Quando rezardes em casa, 
junto ao vosso presépio, recordai-vos de mim,
 como eu me recordo de vós».
«A oração é a respiração da alma: é importante encontrar momentos do dia para abrir o coração a 
Deus, mesmo com simples e breves orações do povo cristão. Por isso, hoje pensei de dar-vos um 
presente a todos vós que estais aqui na Praça: um pequeno livrinho de bolso que tem algumas 
orações, para os vários momentos do dia e para as diferentes situações da vida», disse o papa.
Na capa do livro publicado pela “Libreria Editrice Vaticana” está reproduzido um fresco do 
século III, que se encontra nas catacumbas romanas de Priscilla, representando um orante com os
 braços abertos e dirigidos ao céu.
O livrinho recolhe as mais importantes orações da tradição cristã, as mais conhecidas e fáceis de 
aprender de memória, a que se pode recorrer ao longo do dia, mas também em situações e 
necessidades particulares.
Nas páginas 32 e 33 está reproduzido o desenho de uma mão com as intenções sugeridas por 
Francisco a partir dos cinco dedos.
O anelar «é o nosso dedo mais fraco, como pode confirmar
 qualquer professor de piano»; ele «recorda-nos de rezar 
pelos mais fracos, por quem tem desafios a enfrentar, pelos 
doentes» que têm necessidade da «tua oração de dia e de 
noite», bem como pelos esposos
O polegar, «o dedo que te é mais próximo», faz-nos pensar e rezar por quem está mais próximo 
de nós, «as pessoas de quem nos recordamos mais facilmente», rezar por todos os nossos entes 
queridos «é uma doce obrigação».
O indicador recorda-nos de rezar por quem tem a função de dar indicações aos outros, isto é, 
«aqueles que ensinam, educam e tratam», categoria que compreende «mestres, professores, 
médicos e sacerdotes».
O médio, o dedo mais alto, lembra «os nossos governantes», as pessoas «que gerem o destino da
 nossa pátria e orientam a opinião pública… precisam da orientação de Deus».
O anelar «é o nosso dedo mais fraco, como pode confirmar qualquer professor de piano»; ele
 «recorda-nos de rezar pelos mais fracos, por quem tem desafios a enfrentar, pelos doentes» 
que têm necessidade da «tua oração de dia e de noite», bem como pelos esposos.
Por fim, o mindinho, o dedo mais pequeno, «como pequenos nos devemos sentir diante de Deus 
e do próximo», convida a rezar por nós próprios: «Depois de teres rezado por todos os outros, 
poderás compreender melhor quais são as tuas necessidades, olhando-as na justa perspetiva».
No livrinho oferecido pelo Francisco, que se abre com a oração por excelência, o “Pai-nosso”, 
encontram espaço, além de orações bíblicas e alguns versículos dos salmos 51, 130 e 139, 
os mistérios do Rosário.
Há também fórmulas simples para recitar antes e depois da refeição, a par de breves textos 
compostos por S. Francisco, Santa Teresa do Menino Jesus e dos beatos J. H. Newman, Charles
 de Foucauld e Madre Teresa de Calcutá.
Juntamente com orações a recitar antes do sacramento da Reconciliação e após a 
Comunhão,incluem-se igualmente súplicas para a bênção dos filhos por parte dos pais,
 orações para os cônjuges e noivos e invocações contra o maligno.
O presente de Francisco aos fiéis acrescenta-se aos dos meses anteriores: 
o terço da misericórdia e o Evangelho em formato de bolso; quanto a este, o papa 
afirmou repetidamente a importância de o levar consigo a cada dia e ler um trecho 
enquanto se está na fila, nos transportes ou num momento livre.
Com este livrinho de orações, o bispo de Roma continua a dar sugestões simples
 para a vida diária dos crentes a partir do património da tradição cristã.
Por fim, o mindinho, o dedo mais pequeno, «como pequenos
 nos devemos sentir diante de Deus e do próximo», convida
 a rezar por nós próprios: «Depois de teres rezado por
 todos os outros, poderás compreender melhor quais são
 as tuas necessidades, olhando-as na justa perspetiva»

Andrea Tornielli, "Vatican Insider" 
Rádio Vaticano 
Trad. / edição: Rui Jorge Martins 
Publicado em 14.12.2014

Natal Luz 2014 - obrigado


Domingo dia 14 de dezembro realizamos uma bonita festa de natal. Compareceram aproximadamente 60 crianças acompanhadas por pais,irmãos e  ou avós. A grande maioria das crianças é atendida pela pastoral da criança.
Tivemos a encenação do presépio feito pela comunidade Graça  misericórdia e Paz. Após a chegada do papai noel e distribuição dos brinquedos doados por amigos da comunidade.
obrigado e Deus os abençõe!










segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

E a ovelha que se perdeu?

Leio atentamente o texto, na minha Bíblia: Mt 18,12-14 – E a que se perdeu?
O que é que vocês acham que faz um homem que tem cem ovelhas, e uma delas se perde? Será que não deixa as noventa e nove pastando no monte e vai procurar a ovelha perdida? Eu afirmo a vocês que isto é verdade: quando ele a encontrar, ficará muito mais contente por causa dessa ovelha do que pelas noventa e nove que não se perderam. Assim também o Pai de vocês, que está no céu, não quer que nenhum destes pequeninos se perca.

Um problema que devem enfrentar os que seguem Jesus é o julgamento, ou seja,  pensar que algumas pessoas estão irremediavelmente perdidas porque se afastaram. Na parábola de Jesus, o pastor deixa as 99 ovelhas que não se perderam  e vai procurar a ovelha que se perdeu. Ele quer dizer que veio ao mundo para salvar o que pensamos estar perdido. A comunidade, a Igreja, a família, o grupo que segue Jesus, não tem outra alternativa se constata que algum membro se extraviou. Como o pastor, o seguidor de Jesus, seu discípulo e missionário, deve fazer todo empenho para recuperar esta pessoa.
   
2. Meditação (Caminho)
O que o texto diz para mim?
Quero seguir Jesus Cristo e para isto jamais poderei me deixar dominar pelo espírito de competição e pela tentação de julgar ou de excluir. Se alguém se afastou, devo ir ao encontro desta pessoa e tentar ajudá-la, recuperá-la. 

Em Aparecida, os bispos disseram: "Conversão: É a resposta inicial de quem escutou o Senhor com admiração, crê n’Ele pela ação do Espírito, decide-se ser seu amigo e ir após Ele, mudando sua forma de pensar e de viver, aceitando a cruz de Cristo, consciente de que morrer para o pecado é alcançar a vida. No Batismo e no sacramento da reconciliação se atualiza para nós a redenção de Cristo." (DAp 278b).

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Papa: os santos da vida cotidiana nos dão esperança


◊  
 
Cidade do Vaticano (RV) – Não basta se declarar cristão, é preciso agir : comentando o Evangelho da casa construída sobre a rocha ou sobre a areia, na missa desta manhã o Papa Francisco convidou a não ser cristãos de aparência, mas a colocar em prática o amor de Jesus.


Para o Pontífice, não basta pertencer a uma família muito católica, a uma associação ou ser um benfeitor se, depois, não se segue a vontade de Deus. “Muitos cristãos de aparência caem nas primeiras tentações”, afirmou, porque não têm “substância”, construíram sua casa sobre a areia. Ao invés, há muitos santos no povo de Deus – não necessariamente canonizados – que colocam em prática a Palavra de Deus. Construíram a casa sobre a rocha, que é Cristo:
“Pensemos nos pequeninos, eh? Nos doentes que oferecem seus sofrimentos pela Igreja, pelos outros. Pensamos nos muitos idosos sozinhos, que rezam e oferecem. Pensemos em tantas mães e pais de família que levam avante com muita dificuldade a sua família, a educação dos filhos, o trabalho cotidiano, os problemas, mas sempre com a esperança em Jesus, sem aparecer, mas fazendo o que podem.”
São os “santos da vida cotidiana!”, exclamou o Papa:
“Pensemos nos muitos padres que não mostram, mas que trabalham em suas paróquias com tanto amor: a catequese às crianças, o cuidado dos idosos, dos doentes, a preparação aos recém-casados... E todos os dias a mesma coisa, todos os dias. Não se entediam, porque em seu fundamento está a rocha. É Jesus, é Ele quem dá a santidade à Igreja, é isso que dá esperança!”
“Devemos pensar muito na santidade escondida que há na Igreja – prosseguiu Francisco –, cristãos que permanecem em Jesus.” “Pecadores? Todos somos. E às vezes alguns desses cristãos cometem um pecado grave, mas se arrependem, pedem perdão, e isso é grande: a capacidade de pedir perdão, de não confundir pecado com virtude, de saber bem onde está virtude e onde está o pecado. Estas pessoas estão fundadas sobre a rocha e a rocha é Cristo. Seguem o caminho de Jesus, seguem-No.”
“Os orgulhosos, os vaidosos, os cristãos de aparência” – sublinhou o Papa Francisco – “serão derrubados, humilhados”, enquanto “os pobres serão os que vão triunfar, os pobres em espírito, aqueles que diante de Deus não se sentem importantes, os humildes, e realizam a salvação, colocando em prática a Palavra do Senhor”. “Hoje, estamos aqui, amanhã não estaremos mais” - disse o Papa citando São Bernardo: “Pense, homem, o que será de você: alimento para os vermes”. “Os vermes irão nos comer, a todos” - recordou o Papa – “Se não temos esta rocha, vamos acabar pisoteados”:
“Neste tempo de preparação para o Natal pedimos ao Senhor para sermos firmes na rocha que é Ele, a nossa esperança é Ele. Todos nós somos pecadores, somos fracos, mas se colocarmos a esperança N’Ele podemos avançar. E esta é a alegria de um cristão: saber que n’Ele há esperança, há perdão, há paz, há alegria. E não colocar a nossa esperança em coisas que hoje existem e amanhã não existem mais”.
(BF/SP)

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

A coroa do Advento


Informações e curiosidades sobre a famosa coroa do Advento,

 que nos ajuda a preparar-nos para o Natal







adviento© Micha L. Rieser
O que é a coroa do Advento?

É uma coroa de ramos verdes na qual são colocadas 4 velas, geralmente roxas. É costume colocá-la em uma mesinha ou sobre um tronco de árvore, ou até pendurada no teto com uma fita bonita. Em princípio, não se coloca em cima do altar, mas junto ao ambão ou em outro lugar adequado da igreja, como, por exemplo, junto a uma imagem ou ícone de Nossa Senhora. A coroa do Advento é o primeiro anúncio do Natal.

Como surgiu a coroa do Advento?

É um costume originário dos países germânicos e estendida à América do Norte, já convertida em um símbolo do Advento nos lares cristãos, nas paróquias e comunidades.

Durante o frio e a escuridão do final do outono, os povos germânicos pré-cristãos coletavam coroas de ramos verdes e acendiam fogo como sinal de esperança na vinda do sol nascente e da primavera.

Este é um exemplo da cristianização da cultura, na qual um elemento antigo assume um novo e pleno sentido: a coroa do Advento encontra uma esplêndida referência em Jesus Cristo, luz do mundo, vencedor da escuridão e das trevas.

Como é composta a coroa do Advento?

Ela é composta por uma coroa circular, ramos ou folhagem verde, quatro velas e algum enfeite sobre elas, como maçãs vermelhas, e uma fita vermelha.

A coroa circular: o círculo não tem começo nem fim, lembrando a unidade e eternidade do Senhor Jesus Cristo, que é o mesmo ontem, hoje e sempre. É sinal do amor de Deus, que é eterno, sem princípio nem fim. Também é um convite para que nosso amor a Deus e ao próximo nunca acabe.

Folhagem verde: os ramos verdes podem ser ramos de pinheiro ou semelhantes. Representam Jesus eternamente vivo e presente entre nós.

Enfeites: Em geral, são maças vermelhas e uma fita vermelha. As maçãs representam as frutas do jardim do Éden, com Adão e Eva. Falam, pois, do pecado e da expulsão do paraíso, bem como do anseio permanente do ser humano de voltar a ele. Mas a fita vermelha significa o amor de Deus que nos envolve, e também nossa resposta de amor ao Senhor.

As quatro velas: representam os 4 domingos que compõem este tempo de vigilante espera. Fazem-nos pensar na escuridão provocada pelo pecado que cega o homem e o afasta de Deus. Assim, com cada vela que acendemos, a humanidade se ilumina e continua iluminando com a chegada de Jesus Cristo ao nosso mundo.

Por que cada semana acendem uma vela na coroa?

Como expressão de espera alegre, cada semana se realiza o rito de acender as velas da coroa, uma a cada domingo do Advento, até que todas fiquem acesas no final.

O acendimento progressivo desses círios nos faz tomar consciência da passagem do tempo no qual esperamos a última e definitiva vinda do Senhor. Esse itinerário, acompanhado de alguma oração ou canto, marcará os passos que nos aproximam da festa do Natal, e nos ajudará a ter mais presente o período em que nos encontramos.

Qual é o significado global da coroa do Advento?

Este simples enfeite de Natal é ao mesmo tempo memória, símbolo e profecia:

É memória das diversas etapas da história da salvação antes de Cristo.

É símbolo da luz profética que ia iluminando a noite da espera, até o amanhecer do Sol de justiça.

É profecia de Cristo, luz do mundo que voltará para iluminar definitivamente o mundo e todos aqueles que esperam com suas lâmpadas acesas.

(Artigo publicado originalmente pela Revista Ecclesia)

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Retiro Virtual Advento 2014



“UMA VOZ GRITA: «PREPARAI NO DESERTO O CAMINHO DO SENHOR»”

(ISAÍAS 40, 3)

Provavelmente, já ouviste muitas vezes estas palavras. São do profeta Isaías, mas o evangelista Mateus associa-as a João Baptista e à vinda próxima de Jesus. São palavras para o Advento, um caminho de esperança que és convidado a percorrer, em vista do Natal do Senhor.
A pensar neste caminho e nos teus desertos, interiores ou exteriores, o Passo-a-Rezar, em colaboração com o Espaço Sagrado, propõe-te um Retiro, para leres ou escutares e meditares, onde e quando te for possível.
Se quiseres e puderes, faz-te ao deserto, preparando em ti “um caminho para o Senhor”.

Alexandre e Alana. Ousar o Evangelho: PREPARAÇÃO PARA O NATAL - PRESÉPIO ESPIRITUAL

Alexandre e Alana. Ousar o Evangelho: PREPARAÇÃO PARA O NATAL - PRESÉPIO ESPIRITUAL: Olá povo de Deus! Chegou dezembro!!!  Que mês encantador, o mês do nascimento de Nosso Senhor Jesus Cristo! Vamos nos preparar?  V...

sábado, 18 de outubro de 2014

TERCEIRO DIA DO TRIDUO – O TRÁFICO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

Com a presença de aproximadamente 40 pessoas tivemos ontem o último dia do tríduo.

           

O tráfico infantil vem crescendo a cada ano. As nossas crianças e adolescentes estão sujeitas ao trabalho escravo e ou prostituição; forçadas a trabalhar nas carvoarias, nas colheitas, na construção e nas sinaleiras das grandes cidades; obrigadas ao uso e ao tráfico de drogas; e até mesmo usadas por criminosos em roubos e assaltos. Temos ainda crianças seqüestradas e traficadas para outros países para adoção, transplantes de órgãos, prostituição e trabalho escravo. Enxergamos esta realidade?


Santa Edwiges vivia com o mínimo de sua renda, para dispor o restante em socorro dos necessitados. Era misericordiosa e socorria também os endividados. Em certa ocasião, quando visitava um presídio, ela descobriu que muitos ali se encontravam porque não tinham como pagar as suas dívidas. Desde então, Edwiges saldava as dívidas de muitos e devolvia-lhes a liberdade. Procurava também para eles um emprego. Com isto eles recomeçavam a vida com dignidade, evitando à destruição as famílias em uma época tão difícil como era aquela do século 13. E ainda mantinha as famílias unidas.

Assim, Santa Edwiges, é considerada a Padroeira dos pobres e endividados e protetora das famílias.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Bem-Vindo Romeiro | Histórias de Fé - Intercessões de Santa Edwiges - 16...

segundo dia do triduo - Trabalho escravo e migrantes no meio urbano

Com aproximadamente 35 pessoas rezamos neste noite com o auxílio dos seminaristas carlistas no canto.

            Acolhida : Irmãs e irmãos boa noite. Desde os anos 70, com a maior integração dos mercados internacionais, o Brasil vem recebendo cada vez mais imigrantes de países vizinhos. Eles vem em busca de trabalho e das oportunidades de melhoria de vida, seja no meio rural ou no meio urbano. Cresce ainda o número dos que pedem refúgio,  vindos de diferentes países da África e Ásia. 

Migrar é um direito, traficar pessoas é um crime, um problema social grave  e lamentavelmente , uma prática em muitos países.”uma vergonha para as nossas sociedades que se dizem civilizadas”, como afirmou o papa Francisco.

Santa Edwiges renunciava aos tributos que seus súditos deviam pagar, bem como perdoava aos devedores. Chegou ao ponto que um dos capelães, Padres que serviam a corte de Henrique e Edwiges, afirmou à Duquesa: “A senhora tanto perdoa as dívidas e renuncia aos proventos que nós, que estamos ao vosso serviço, não temos quase o suficiente para sobreviver.” Edwiges respondeu: “Não se preocupem: Deus saberá cuidar de vós!”

Edwiges recomendava sempre ao seu administrador, Ludolfo, para que tratasse as pessoas com bondade e não as perseguisse com exigências insistências sobre as dívidas. Para tanto ela mesmo participava de muitos julgamentos e controlava os juízes para que fossem menos severos. Chegava ao ponto de, após a condenação, pedir que os executores da sentença fossem os capelães para que o castigo fosse menos severo.

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Bem-Vindo Romeiro | Especial Santa Edwiges - Bênção das Rosas - 16 de Ou...

primeiro dia do triduo - SANTA EDWIGES DEFENDENDO A VIDA

 Começamos ONTEM o tríduo a nossa Santa Edwiges, com a participação de aproximadamente 50 pessoas. 
Edwiges ardente discípula de Cristo, sempre ao lado dos marginalizados, modelo do amor a cruz!
 Se colocarmos a lupa da sensibilidade em nossos olhos e ouvidos, teremos nossos sentidos e nosso coração mais atentos para escutar e acolher a realidade. Podemos ver, sentir e constatar  que a realidade do tráfico de pessoas para exploração sexual, trabalho escravo, remoção de órgãos e tecidos, adoções ilegais e mendicância está mais próxima que imaginamos.
Edwiges ajudava os pobres, cuidava dos doentes e famintos, tratava com carinho e atenção às parturientes e jamais esquecia as viúvas e órfãos. Em qualquer parte onde pudesse perceber necessidades e falta de recursos, acorria em auxílio, guiada pelo amor de seu coração. E não fazia isto como outras princesas ou rainhas que mandavam seus serviçais, mas sim ia pessoalmente e apresentava sua ajuda, seguindo as palavras do Mestre que diz: “Bem-aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia” (Mateus 5, 7).      


terça-feira, 14 de outubro de 2014

Problemas financeiros, de saúde e agradecimentos, participe da festa de Santa Edwiges

Venha participar da Festa de Santa Edwiges 2014 !

PADROEIRA DOS POBRES , ENDIVIDADOS E ENCARCERADOS

Tríduo com Missa - Dias 15;16 e 17 outubro às 20 horas na 
Paróquia São José. Vila Nova 
Av. Rodrigues da Fonseca 1469

Caminhada com Santa Edwiges,
19 de Outubro as 9.30 horas, saindo da Paróquia.
10.30 hs missa na capela. Rua frei Albino Aresi 165 – Jd Vila Nova

Almoço de confraternização R$ 15,00 - Tarde festiva  Informações: 3245-1840 / 3248-5232 / 8542-2844 /

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Cantora Adriana Oracao a Santa Edwiges.

Novena de Santa Edwiges

Santuário Virtual » Novenas Virtuais » Novena de Santa Edwiges

Oração para todos os dias

Ó Santa Edwiges, Vós que na Terra fostes o amparo dos pobres, a ajuda dos desvalidos e o socorro dos endividados, no Céu agora desfrutais do eterno prêmio da caridade que em vida praticastes, suplicante Te peço que sejais a minha advogada, para que eu obtenha de Deus o auxílio que urgentemente preciso...

(Fazer o pedido da graça que urgentemente precisa)
Santa Edwiges, protetora dos endividados, aumentai minha confiança na providência divina para que não falte o pão de cada dia, e que no final do mês não falte o necessário, para que eu possa dar aos meus familiares saúde, educação e dignidade na moradia.

Santa Edwiges intercedei por mim para que eu consiga o equilíbrio na vida financeira e o discernimento nos negócios. Ajudai-me a superar os problemas financeiros, que eu não me iluda com o dinheiro fácil, que eu não seja conivente com a corrupção, propina. Dai equilíbrio na vida financeira.

Alcançai-me também, Santa Edwiges, a suprema graça da salvação eterna.

Santa Edwiges, rogai por nós.
Amém.

Esta novena já foi rezada por 50.966 pessoas.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Às vezes, apenas “dizemos orações”com os lábios.

- O que a Palavra diz?
Leio atentamente, na Bíblia,  Lc 11,1-4.
Um dia Jesus estava orando num certo lugar. Quando acabou de orar, um dos seus discípulos pediu:
- Senhor, nos ensine a orar, como João ensinou os discípulos dele.
Jesus respondeu:
- Quando vocês orarem, digam:
"Pai, que todos reconheçam que o teu nome é santo.
Venha o teu Reino. Dá-nos cada dia o alimento que precisamos.
Perdoa os nossos pecados, pois nós também perdoamos
todos os que nos ofendem.
E não deixes que sejamos tentados."
Neste texto Jesus nos ensina a orar, respondendo à solicitação dos discípulos.  Propõe uma oração breve. Mais breve que a de Mateus (Mt 6,9-15). Esta oração do Pai Nosso  traduz a experiência do povo, suas provações no deserto, o maná de cada dia, a vontade de Deus, o seu reinado. Apresenta cinco pedidos ao invés de sete. Indica a atitude que devemos assumir ao orar: não ficar repetindo fórmulas, muito menos de forma longa. E ainda, ter atitude de confiança no Pai que já sabe tudo de que necessitamos. A invocação "Pai" ilumina o restante:
- que seja respeitado o nome de Deus que é Pai;
- que venha o Reino de Deus isto é, que Deus seja quem orienta e rege a história;
- pede o alimento de cada dia; se é o pão quotidiano refere-se à nossa vida aqui; se é o pão de amanhã, refere-se à vida eterna.
- Perdoa os nossos pecados,  pois nós também perdoamos todos os que nos ofendem.
- E não deixes que sejamos tentados.
O perdão não depende apenas de nosso querer. É dom de Deus que ele nos oferece e que devemos acolher.
Thomas Merton diz que, assim como somos, rezamos. E diz mais: “O homem que não reza, é alguém que tentou fugir de si mesmo, porque fugiu de Deus”.

2. Meditação(Caminho)
- O que a Palavra diz para mim?
Às vezes, apenas “dizemos orações”com os lábios.
Nosso coração, nossos sentimentos e pensamentos estão distantes.
Jesus nos ensina, de maneira muito simples, a orar:
1º Assumir a atitude de filhos e irmãos: Pai nosso.
2º Reconhecer o nome de Deus como “santo”.
3º Pedir que o Reino de Deus se instaure entre nós.
4º Dispor-nos a fazer a vontade de Deus.
5º Fazer os pedidos para o dia-a-dia: o pão, o perdão, a libertação de toda tentação e mal.
Os bispos, na V Conferência, em Aparecida, disseram: “Nos diferentes momentos da luta cotidiana, muitos recorrem a algum pequeno sinal do amor de Deus: um crucifixo, um rosário, uma vela que se acende para acompanhar um filho em sua enfermidade, um Pai Nosso recitado entre lágrimas, um olhar entranhável a uma imagem querida de Maria, um sorriso dirigido ao Céu em meio a uma simples alegria.” (DAp 261).